Falta de ar e COVID-19: entenda se é um sintoma e quando procurar um médico

Falta de ar e COVID-19: entenda se é um sintoma

 

O sintoma de falta de ar e COVID-19 estão altamente interligados. É um indício que surge nos casos graves da infecção e pode trazer sérias complicações para o paciente. Isso ocorre porque a COVID-19 atinge diretamente o trato respiratório e os pulmões.

Após identificar esse sintoma, é necessário buscar auxílio médico imediato e iniciar o tratamento o mais rápido possível. 

Falta de ar é um sintoma de Coronavírus?

Sim, a falta de ar é um indício muito característico do Coronavírus e faz parte dos sintomas graves de COVID-19

Qualquer pessoa pode apresentar sintomas leves, moderados ou graves. Os graves podem acometer principalmente idosos e pessoas portadoras de  condições médicas de base, como doenças cardíacas, pulmonares e diabetes, que são pertencentes ao grupo de risco e possuem maiores chances de desenvolver complicações da doença. 

Assim como a dor de garganta e COVID-19 e os demais sintomas da doença, grande parte das pessoas infectadas não apresentarão falta de ar ou dificuldade respiratória - a manifestação dependerá de cada organismo e da gravidade da infecção.

Como é a falta de ar da COVID-19?

A falta de ar pode ocorrer de duas maneiras quando a infecção do Coronavírus está ativa, sendo de forma repentina ou progressiva.

Quando o paciente apresenta dificuldade respiratória, a saturação de oxigênio pode cair para menos de 90%, o que pode causar sintomas de confusão mental, letargia e entre outros. Já nos casos mais graves, os níveis de oxigênio podem cair para menos de 80% de saturação, o que pode agravar o comprometimento de órgãos do corpo.

Quando devo procurar um médico?

Durante a pandemia do Coronavírus, recomenda-se procurar auxílio médico em hospitais principalmente se apresentar: 

  • Problemas respiratórios;

  • Dor persistente ou pressão no peito;

  • Febre alta acompanhada de algum outro sintoma;

  • Incapacidade de acordar ou ficar acordado;

  • Pele, lábios ou leito ungueal pálido, cinza ou azulado, dependendo do tom da pele. 

Caso apresente sintomas leves, a recomendação é para que faça o isolamento social durante o período de incubação (tempo que a doença pode levar para se manifestar) que dura de 2 a 14 dias após a exposição ao vírus. 

A automedicação nunca é indicada e não deve ser feita. Caso se sinta desconfortável ou apresente sintomas que podem ser tratados em casa, entre em contato com seu médico de confiança para que ele prescreva os medicamentos ideais para você e realize os testes de COVID-19 para confirmar o diagnóstico.

Outros problemas que acarretam a falta de ar

Além da COVID-19, há outros problemas de saúde que podem causar falta de ar. Alguns exemplos são: 

  • Pneumonia;

  • Asma;

  • Crises de ansiedade;

  • Doenças cardiovasculares;

  • Bronquites;

  • Crises alérgicas;

  • Embolia pulmonar;

  • Doenças respiratórias. 

Na presença desse sintoma, recomenda-se procurar auxílio médico o mais rápido possível para diagnosticar a causa.

Sintomas mais comuns de COVID-19

Além da característica falta de ar, os sintomas mais comuns da COVID-19 incluem:

  • Dor de cabeça;

  • Dor de garganta;

  • Perda do olfato;

  • Perda de paladar;

  • Tosse, geralmente seca;

  • Febre;

  • Confusão mental;

  • Dor no peito;

  • Fadiga;

  • Dores musculares;

  • Diarreia;

  • Desconforto abdominal.

 

Faça seu exame de COVID-19 no Lâmina! Clique no botão abaixo para realizar o agendamento online:

Agende seu exame